NacionalNotícias

Natixis quer contratar 400 profissionais em Portugal até ao final do ano

O Centro de Excelência em TI da empresa, no Porto, conta já com 1200 colaboradores.

Business-IT

A Natixis em Portugal anunciou que pretende recrutar mais 400 colaboradores até ao final do ano. A empresa procura profissionais nas áreas da Banca, Finanças, Economia, Gestão, Direito e Tecnologias de Informação.

As vagas existentes são para vários perfis de senioridade e para as equipas de back-office, compliance, sanções e embargos, know your customer, know your supplier, purchasing, operações financeiras, gestão de risco, gestão de recursos humanos, entre outras; nas áreas de TI, a Natixis procura developers, application support engineers, business analysts, QA analysts, entre outras funções.

As posições em aberto incluem vagas direccionadas para jovens elegíveis para estágios profissionais do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) através da campanha ‘We Want Your Brain‘.

A Natixis instalou o seu Centro de Excelência em TI no Porto, em 2017, para internalizar grande parte dos seus serviços tecnológicos e  dar suporte tecnológico aos serviços do banco em todo o mundo. Actualmente o centro conta com 1200 colaboradores, de 21 nacionalidades.

Etienne Huret, diretor-geral da Natixis em Portugal (na foto), fala da operação nacional: «Quatro anos depois de termos iniciado o nosso percurso em Portugal, a ambição que temos é de continuar a expandir o nosso Centro de Excelência com o melhor talento. O Porto transformou-se no segundo hub mais importante da Natixis na Europa, logo depois de Paris, e não temos dúvidas de que a nossa equipa foi um factor essencial para esse sucesso».

Entre outras condições, a Natixis oferece aos seus colaboradores «modelos de trabalho flexíveis; espaços de trabalho colaborativos, com destaque para o terraço, onde se encontra a horta urbana, e laboratórios com temas específicos dedicados ao trabalho em equipa; desenvolvimento de carreira, que inclui a possibilidade de mobilidade interna e internacional; parcerias com universidades; programas de formação técnica, liderança, línguas e em competências sociais; e metodologias dinâmicas de trabalho, com base na agilidade, na flexibilidade, no empreendedorismo e na criatividade», salienta a empresa.