Reportagem

Infor Inspire ganha consistência virtual

Com o evento de Londres a ser cancelado, o Infor Inspire realizou-se no mundo virtual. Sem a apresentação de novos produtos, a mensagem foi sobretudo de que o negócio continua a fazer-se, o apoio continua a ser dado aos clientes e a tecnologia, sobretudo a ida para a cloud, faz mais sentido que nunca.

Foi num palco ligeiramente diferente que vimos a norte-americana Infor apresentar a sua conferência europeia ‘Inspire’. Depois de, no ano passado, termos estado em Amesterdão, este ano Londres era o destino que acolhia a reunião entre clientes, parceiros e a imprensa europeia para dar a conhecer as novidades desta empresa de aplicações de negócio. No final, e face ao confinamento a que todos estivemos sujeitos, o evento decorreu na cozinha do CEO, na sala do CTO e num recanto da casa do responsável pelos mercados internacionais da Infor.

Como seria de esperar, a palestra foi influenciada pela COVID-19, com o CEO Kevin Samuelson a fazer uma actualização dos negócios, o CTO Soma Somasundaram a dar novidades sobre o produto e a plataforma e Cormac Watters, o responsável pelos mercados internacionais, a falar sobre a entrega do produto.

Com os seus dezassete mil funcionários a trabalharem a partir de casa, pelo menos à data da conferência, o discurso de Samuelson focou muito o objectivo de garantir que os negócios estejam a ser bem administrados e que o apoio aos clientes esteja a ser devidamente efectuado nestes tempos que apelidou de «desafiantes».

O responsável confirmou que a Infor continua a vender projectos, que até conseguiu fazer várias demonstrações durante o período de confinamento e que está a oferecer os mesmos níveis de suporte de antes. O CEO reconhece que é improvável que as operações de negócio «voltem ao normal» em breve e que o trabalho remoto e distribuído podem estar para ficar por algum tempo. Como tal, o argumento da Infor é que as empresas precisam de pensar em como reter agilidade e dinamizar o crescimento num mercado cada vez mais incerto.

Sem surpresa, foram abordadas as notícias recentes de que o investidor e cliente da Infor – Koch Industries – adquiriu totalmente a empresa norte-americana, com Kevin Samuelson a garantir que a compra não afectou a forma como os negócios são geridos. «Estamos a tomar as decisões de produtos e tecnologia que ajudarão os clientes não apenas neste mês ou neste trimestre, mas com franqueza na próxima década».

Koch potencia negócio da Infor
Samuelson aproveitou a oportunidade para destacar que a Koch permite que a Infor continue com os seus investimentos estratégicos de longo prazo como uma empresa privada, ao contrário de muitos outros fornecedores do sector focados em SaaS que talvez tenham que procurar ganhos a curto prazo.

Aliás, os analistas sempre foram mais ou menos unânimes ao argumentarem que a Infor sempre beneficiou em ser uma empresa privada, principalmente no que diz respeito à aposta no foco vertical na indústria. «Se levarmos em consideração o nosso apoio financeiro, que é inigualável; o facto de agora pertencermos a uma empresa que também é um cliente que nos pode ajudar a inovar; e tendo em conta a nossa capacidade de tomar decisões a longo prazo, estamos verdadeiramente numa posição única e poderosa», disse Kevin Samuelson.

O CEO divulgou que a Infor gera agora mais de 738,5 milhões de euros de receita em SaaS cloud, que regista um crescimento de 30-40% ano a ano. A Infor tem quinze mil clientes a usarem os seus produtos na nuvem. Kevin Samuelson não tem qualquer dúvida de que as empresas, para tirarem proveito das ofertas da Infor, têm de dar o importante passo de mover a sua tecnologia para a nuvem, apesar de admitir que o sector tem sido pobre em fornecer soluções, muitas vezes não cumprindo as promessas de economia e ROI. Para colmatar esta falha, a Infor diz ter-se concentrado em fornecer funcionalidades específicas do sector, mas mais importante, reconsiderado a sua abordagem de implementação.

Produto e plataforma
Soma Somasundaram, director de tecnologia e produto, explicou que ao contrário dos seus principais concorrentes, a Infor concentra e gasta o seu dinheiro em P&D apenas nos principais produtos que os clientes usam. Ou seja, por exemplo, não investe em bancos de dados ou infra-estrutura, esta última deixando nas ‘mãos’ da Amazon. «Concentramo-nos nas soluções do sector e levamos a inovação para dentro da Infor para oferecer melhores soluções e mais rapidamente ao cliente».

O CTO abordou ainda que a Infor aproveita a «nuvem segura, extensível e de grande escala fornecida pela AWS», assim como, com a aquisição da Birst, a Infor pode agora fornecer análises incorporadas nas suas Cloud Suites.

Outro dos princípios da Infor é que as empresas conectadas têm melhor desempenho, destacando aqui o Infor Nexus, que permite a ligação e a visibilidade de cadeias de abastecimento complexas fora da organização.

A IA, combinada com os dados, pode fornecer automação e optimização para as organizações, diz Soma Somasundaram, sendo que o Infor Coleman e o Infor Data Lake permitem precisamente isso. O CTO destacou ainda a importância de disponibilizar soluções prontas para uso com as melhores práticas incorporadas para fornecer valor mais rapidamente.

Business-IT