InternacionalNotícias

Claranet lança plataforma de cloud híbrida para aplicações críticas

A Claranet Cloud Platform incorpora by design um conjunto serviços que simplificam a gestão de múltiplas nuvens e garantem uma maior segurança.

natanaelginting/Freepik

A Claranet Portugal acaba de disponibilizar no mercado a nova versão da Claranet Cloud Platform (CCP), uma plataforma de cloud híbrida desenhada de raiz para suportar aplicações e infraestruturas de missão críticas.

No evento de lançamento da CCP,  a empresa anunciou a disponibilização de novos serviços de computação, armazenamento, rede e segurança no modelo as-a-service, incluindo serviços de Infrastructure-as-a-Service (IaaS) para SAP HANA, Oracle e VMware.

A plataforma apresenta ainda outras novidades ao incorporar by design um conjunto serviços que simplificam a gestão e garantem uma maior segurança, como serviços de backup & disaster recovery, monitorização de infraestrutura e aplicações e também o rastreio de recursos através da aplicação de tags.

A nova oferta inclui também os novos serviços de containers Kubernetes, Object Storage, Web Application Firewall e Cloud Connect, esta última uma solução de conectividade dedicada, de elevada capacidade e latências reduzidas para as regiões CCP.

A Claranet está também a desenvolver um conjunto de serviços de edge totalmente interconectados com a platforma, que oferecem «os benefícios da cloud a clientes que, por diferentes razões, não podem migrar os seus workloads para a nuvem», explica a empresa, em comunicado.

Vasco Afonso, head of cloud da Claranet Portugal, esclarece que a crescente importância da cloud e a novidade são importantes para a competitividade das organizações:  «Percebemos hoje que a cloud tem um impacto directo no sucesso das nossas organizações, afectando tudo, desde a agilidade até aos seus resultados. É com isto em mente que lançamos a nova geração da Claranet Cloud Platform, um serviço cloud de elevada performance, flexível, resiliente, e mais seguro do que nunca, que permite que as empresas se possam focar no que é realmente importante, serem mais ágeis, mais eficientes e mais inovadoras».

 

Deixe uma resposta