InternacionalNotícias

Mulesoft: necessidade de automação aumentou em 90% das empresas

O estudo mostrou ainda que 80% das empresas terão hiper-automação nos seus planos de tecnologia para os próximos 24 meses.

Rawpixel/Freepik

A Mulesoft divulgou mais recente estudo sobre automação, onde revela que essa necessidade aumentou entre as empresas (90%), abrangendo hoje mais departamentos na tentativa de acelerar a eficiência e produtividade.

Segundo a empresa da Salesforce, 80% das empresas afirma estar preocupada com o facto do apoio à automação poder aumentar a sua dívida técnica. O estudo realizado em parceria com a Vanson Bourne, que entrevistou 600 líderes de TI de empresas globais, revelou ainda que a larga maioria dos inquiridos (91%), indica que a procura por automação por parte das empresas aumentou nos últimos dois anos.

Quase a totalidade dos profissionais inquiridos (96%) afirma que a mudança ou reconstrução de modelos de automação, devido a alterações dos requisitos dos sistemas ou do negócio, é um desafio.

Por outro lado, o relatório evidenciou que a automação feita de forma correcta leva a um crescimento eficiente e que quase metade (44%) está a usar recursos de integração e gestão de API para apoiar totalmente os seus esforços de automação de processos de negócios. Os restantes 53% afirmam que estão a usar ‘até um certo ponto’, indicando que há uma grande oportunidade de automatizar fluxos de trabalho em escala, com mais eficiência e fornecer, mais rapidamente, experiências conectadas aos clientes.

O estudo mostrou ainda que 80% das empresas terão hiper-automação nos seus planos de tecnologia para os próximos 24 meses.

Matt McLarty, Global Field CTO & VP of the Digital Transformation Office, na MuleSoft explica que «é vital que as empresas se tornem mais adaptáveis à mudança tecnológica, permitindo a construção da automação e a conexão de dados e aplicações de uma forma holística. Sem uma abordagem composta, as empresas ficam em risco de aumentar a sua dívida técnica, ao invés de a reduzir».

O responsável acrescenta que «as empresas não devem pensar que, uma vez implementada a automação num processo, que o trabalho fica concluído. Se aprendemos algo durante este período mais volátil é que precisamos de uma nova mentalidade quando olhamos para os negócios, pelo que as empresas que crescem na economia digital são as que se adaptam mais rapidamente às mudanças, deixando para trás as restantes que devem focar-se em três aspectos muito concretos: crescimento eficiente e sustentável, agilidade com segurança em escala e inovação contínua.».

Deixe uma resposta