Entrevista

«Portugal é um mercado-chave para a Imburse»

Entrevista a David Turner, CTO da Imburse.

A Imburse quer revolucionar os sistemas de pagamento, tornando-os mais ágeis. David Turner, CTO desta empresa fundada na Suíça, em 2018, considera Portugal um mercado-chave e garante que o escritório de Lisboa vai crescer.

Qual o grande objectivo da Imburse no mercado?

O nosso objectivo é garantir que as organizações tenham total liberdade para mudar rapidamente e implementar a sua oferta de pagamento ideal, em menos de cinco minutos e a custo zero. Num mundo onde as preferências e tecnologias de pagamento dos consumidores estão em constante evolução, a nossa plataforma oferece acesso livre de integração a todo o ecossistema de pagamentos global. [Text Wrapping Break]Seja para cobranças ou pagamentos, a Imburse permite que as organizações escolham os melhores fornecedores e tecnologias de pagamento para qualquer situação e mercado, independentemente do actual estado dos seus sistemas de TI. Pense em nós como um adaptador universal de pagamentos. A empresa liga-se à Imburse, uma única vez, e nós ligamos a empresa a quaisquer provedores de pagamento e tecnologias de que precisa.

Nesse tal mundo onde as preferências e tecnologias de pagamento dos consumidores estão em constante evolução, qual é o papel da vossa plataforma?

Para a maioria das empresas, a mudança é lenta e cara. Como as organizações procuram responder às expectativas em constante mudança dos clientes e adaptarem-se às novas tecnologias, torna-se difícil, para a maioria das organizações, fornecer novas soluções de forma oportuna e económica.

Nós eliminamos essa lacuna entre o que é necessário e o que está disponível. O nosso papel é tornar a selecção e integração de novas tecnologias de pagamento e fornecedores tão fácil, quanto seleccionar e instalar apps de uma loja. A plataforma Imburse possibilita que os nossos clientes não precisem de qualquer outra integração directa entre os seus principais sistemas de TI e o ecossistema de pagamento. Isto permite, realmente, que as empresas superem as expectativas dos seus clientes e façam dos pagamentos um factor-chave de valor para o negócio, de forma imediata, sem ter de esperar por longas implementações de TI.

Que tipo de clientes procura a vossa solução?

A nossa base de clientes principal está no sector de serviços financeiros, com o principal vertical a ser o das seguradoras, em toda a Europa. Esses clientes implementam a nossa solução para cobranças, pagamentos, prémios/fidelização, bem como automação do processo de pagamento. Os nossos clientes têm desafios reais com sistemas de TI legados, configurações corporativas complexas que operam em vários mercados, e contam com a nossa solução para resolver o problema de integração, assim como normalizar todos os dados de relatórios. A nossa solução é independente do sector, e se uma empresa tiver desafios com a integração e a gestão dos dados de pagamentos, podemos agregar valor e resolver esses problemas.

O que podemos esperar da Imburse, no futuro?

A Imburse vai transformar o acesso ao ecossistema global de pagamentos para empresas num activo que elas podem aproveitar totalmente. Analisamos os pagamentos de forma holística, desde a escolha até à gestão do fornecedor e até à criação de relatórios e reconciliação. Traremos a simplicidade de acesso e variedade de escolha a todas as partes da cadeia de valor de pagamento, incluindo KYC / B, verificação de sanções, verificação AML, pagamentos internacionais, tokenização de cartão de crédito, reconciliação automática, automação e análise. Vemo-nos como o futuro padrão de pagamentos para uma caminhada holística, a nível global.

Como vê a transformação digital dos pagamentos e como pode ser essencial para as empresas em 2021?

O próprio sector de pagamentos está a transformar-se tremendamente para responder a um cliente mais digital, impulsionando a transformação na identificação, agregação e hiper-localização nos pagamentos. Isso está a acontecer a um ritmo acelerado, o que é difícil para as empresas acompanharem.

A somar a tudo isto, as empresas também enfrentam, por diversos motivos, uma imensa pressão para digitalizar as suas soluções de pagamento: expectativas dos clientes, novos players no mercado, pressões competitivas e accionistas. Quaisquer alterações ou aprimoramentos nos recursos de pagamentos afectam os negócios de maneira muito ampla (nas unidades de negócios) e profunda (nas ferramentas e processos).

Para que as empresas se transformem de forma sustentável, precisam acelerar a implantação, aumentar a variedade, reduzir custos e aprimorar a automação de processos em torno de todos os elementos de transacção.

Como pode a implementação de opções de pagamento em tempo real reduzir custos e garantir serviços de maior valor aos clientes?

O principal benefício dos pagamentos em tempo real está ligado à promessa que as empresas fazem aos seus clientes. Quando um cliente está a pagar a uma empresa pelos seus produtos ou serviços, os pagamentos em tempo real significam que esses produtos e serviços podem ser fornecidos e usados de forma instantânea. Quando os fundos são pagos em tempo real, o cliente pode usar imediatamente esses fundos.Isto vai maximizar o valor percebido para um cliente e dotar a empresa de reforço positivo, o que terá um efeito positivo directo no retorno de clientes, em menos interrupções, numa maior fidelidade e em consumos mais elevados.

Os pagamentos em tempo real mostraram uma redução real dos custos em toda a organização, e em todos os sectores; muito provavelmente, levarão a uma maior adopção de fornecedores de pagamento terceirizados em todos os sectores.

Como definiria 2020 para o sector financeiro?

O ano de 2020 foi um verdadeiro alerta para a indústria de serviços financeiros. Foi um ano que trouxe uma mudança importante e instantânea no comportamento e nas necessidades do consumidor. Organizações que anteriormente estavam a descartar qualquer forma de modernização, ou actividades de aumento de agilidade no futuro, ficaram com uma montanha para escalar. Por exemplo, os neobancos já conquistaram até 12,5% da participação de mercado na Europa – ultrapassaram organizações que, até agora, não conseguiram reconhecer a velocidade com que as coisas precisam de mudar. O ano de 2021 será um catalisador para que as empresas conduzam mudanças verdadeiras nas suas organizações e visem a modernização, explorando modelos de negócios alternativos para encontrar uma posição sustentável num mercado em constante mudança.

Quais são as principais metas para este ano?

A nossa plataforma está sempre a ser expandida para aprofundar a cobertura em toda a Europa enoutros mercados importantes; queremos ainda adicionar mais funcionalidade de fluxo de trabalho de pagamento. Estamos também a finalizar todas as certificações-chave (ISO27001, SOC2 e PCI-DSS) e a aumentar as nossas equipas em Zurique, Lisboa e Londres.

Em relação ao negócio, quais os países mais representativos em termos de receita?

Actualmente, os nossos principais mercados são a Suíça, a Alemanha, o Reino Unido e Portugal. Mas identificamos outros países europeus em constante crescimento.

Quais as expectativas para Portugal?

Portugal é um mercado-chave para a Imburse. A nossa plataforma é um conector de pagamento credenciado pela SIBS, cobre todos os tipos de pagamento locais e tem alguns clientes realmente excelentes no mercado online. Na verdade, estamos imensamente orgulhosos da nossa equipa em Lisboa e esperamos fazer crescer os nossos escritórios em 2021.

Como espera que a adopção dessas tecnologias evolua na Europa?

Estamos a registar um aumento significativo na procura e na necessidade da nossa solução, até porque as empresas estão a ser forçadas a digitalizar e modernizar-se mais rapidamente que esperavam.

O sector de pagamentos experimentou um rápido aumento nas transacções online em 2020, com confinamentos impostos em todo o mundo. Esta mudança para o online causou um aumento nos métodos de pagamento como serviço. De acordo com um relatório publicado pela ResearchandMarkets, o mercado deve crescer dos 5,7 mil milhões de dólares, em 2019, para os 16,7 mil milhões, em 2024. Com tudo isto em mente, esperamos que as empresas não só adoptem essas tecnologias em toda a Europa, mas também procurem essas soluções de forma activa, para acompanhar a transformação digital que está a acontecer em todo o sector.

Para qualquer empresa, os pagamentos são de importância crítica, um momento fundamental da verdade com os clientes. Soluções de pagamento como as nossas estão a surgir, precisamente, com a tónica necessária para que as empresas consigam a transformação que os clientes esperam.

Quais são os maiores desafios que enfrentaram?

Como muitas empresas B2B, o nosso desafio têm sido os longos ciclos associados às vendas corporativas. Não falta entendimento sobre a urgência e a importância dessas soluções, mas o número de pessoas necessárias para aprovar projectos. Os próprios procedimentos de aprovação ainda são hipercomplexos, desnecessariamente grandes e, portanto, atrasam significativamente as acções. Sem surpresa, 2020 trouxe urgência ao processo, o que levou a uma aceleração significativa nas finalizações de projectos, bem como a um maior âmbito de problemas que estão a ser tratados.

É por isso que criámos grandes iniciativas para ajudar as empresas a agir e sentirem-se mais confortáveis, com a implantação de uma solução tão avançada. Essas iniciativas incluem pequenas licenças e contas de teste até o apoio à implementação e grandes parceiros de implementação, como Bearing Point, Accenture, EY, Nagarro e muitas mais.

Deixe uma resposta