NacionalNotícias

Fintech Loyaltek entra no mercado nacional

A empresa vai lançar, em Portugal, o Unity Card para auxiliar as empresas durante a pandemia.

Jannoon028/Freepik

A Loyaltek anunciou a entrada em Portugal e o lançamento de um cartão de ajuda económica humanitária de emergência para famílias e empresas afectadas pela pandemia, o Unity Card.

A solução quer ajudar «as autoridades (locais e nacionais) a conseguirem superar as dificuldades de fazer chegar o dinheiro a quem dele mais precisa de forma segura, rápida e direccionada», explica a fintech, em comunicado.

O Unity Card  pode ser carregado e recarregado com qualquer quantia e funciona como um cartão de débito normal nos terminais de pagamento. Os utilizadores poderão verificar o seu saldo, graças a um código QR que se encontra na parte de trás do cartão, enquanto as autoridades emissoras poderão monitorizar, analisar, gerir e até ajustar a forma como os seus cartões estão a ser utilizados através de uma extranet, tudo em tempo real.



Com mais de um milhão de encomendas em toda a Europa, o cartão resulta de uma parceria entre a Loyaltek e a Paynovate NV, uma das seis instituições financeiras emitentes de moeda electrónica na Bélgica que é regulada pelo Banco Nacional da Bélgica e está autorizada a prestar serviços em toda a União Europeia.

O Unity Card pode ser também personalizado para utilização numa determinada área geográfica (por exemplo, dentro de um único concelho), bem como num determinado tipo de lojas ou de empresas pré-determinadas, neste caso aquelas que foram forçadas a fechar durante a actual crise: hotéis, restaurantes, bares, cabeleireiros, lojas de bricolage, lojas de roupa, entre outras. É por isso que a fintech acredita que «é um instrumento perfeito para estimular a economia local».

«Em toda a Europa as autoridades locais, regionais e nacionais estão à procura de formas que permitam mitigar os efeitos resultantes do confinamento obrigatório, que possibilitem preparar o regresso à vida normal e à recuperação económica, quer se trate de apoiar os comerciantes que tiveram de fechar os seus negócios, ou de ajudar uma mãe a alimentar os seus filhos», esclarece Robert Masse, fundador e CEO da Loyaltek.

O responsável salienta que o desafio é  «como alocar os recursos o mais rápida e eficientemente possível, evitando quaisquer riscos de fraude e garantindo que o dinheiro público serve o seu propósito» e que o Unity Card responde a isso mesmo.

Robert Masse revela ainda ofereceram «cinco mil cartões» e que os «custos de execução foram reduzidos ao mínimo, e equivalem a uma fracção dos encargos habituais inerentes a medidas semelhantes de formato tradicional».

Esta solução já provou o seu potencial na Alemanha na altura da crise migratória, quando a Loyaltek distribuiu dezenas de milhares de cartões às autoridades locais para estas poderem gerir os subsídios dos refugiados sírios, permitindo-lhes responder às suas necessidades mais básicas através de compras junto dos comerciantes locais.

Business-IT

Deixe uma resposta