NotíciasSegurança

Mastercard cria primeiro centro europeu de ciber-resiliência

O centro terá como missão promover as melhores práticas de prevenção e mitigação do cibercrime.

Pexels

A Mastercard anunciou que vai lançar o seu primeiro centro europeu de ciber-resiliência, um centro de cibersegurança para promover a colaboração entre os sectores públicos e privados, assim como com organismos de regulação, e para apoiar a resiliência corporativa na Europa.

Localizado na Bélgica, em Waterloo, na sede europeia da Mastercard, o centro será o primeiro do seu género fora dos Estados Unidos, e vai começar a operar na Primavera em instalações provisórias. A estrutura oficial definitiva está prevista para entrar em funcionamento em 2021.

O hub vai agregar peritos em segurança física e cibersegurança, para ajudar a promover as melhores práticas de prevenção e mitigação do cibercrime internacional e outras ameaças de segurança mais abrangentes.  O centro vai permitir uma comunicação mais eficiente entre as equipas da Mastercard, clientes, parceiros e stakeholders melhorando, deste modo, o tempo de resposta e a eficiência no decorrer de eventos globais, desastres naturais, incidentes de segurança ou serviço.



O centro europeu de ciber-resiliência, vai permitir, por exemplo, a empresa trabalhe de perto com as agências de segurança e com os clientes de forma a acelerar a partilha de intelligence e a liderar uma resposta conjunta contra o cibercrime.

Entre as entidades que vão colaborar com a Mastercard estão agência nacionais, grupos industriais, agências de segurança e bancos centrais em toda a Europa, como o ECRB, ECCFI, Europol, FS-ISAC, INTERPOL, entre outras.

Os «serviços financeiros estão na lista de alvos de ataques devido à vasta quantidade de dados e credenciais de clientes», explica Javier Perez, presidente da Mastercard Europa. Assim, o novo centro europeu de ciber-resiliência «vem promover a colaboração entre organizações chave, contribuindo para garantir segurança a negócios e clientes privados quando partilham informação online», salienta.

O responsável explica a importância da colaboração: «A segurança e a privacidade dos nossos clientes é primordial. Infratores e hackers não conhecem fronteiras nem nacionalidades e, por isso, as ameaças podem surgir de qualquer canto do Mundo. Só com um esforço conjunto, que envolva todas as partes, será possível colocar a Europa na linha da frente da resiliência corporativa. E é, por isso, essencial sincronizar os nossos parceiros e os nossos recursos globais na procura e adopção constante das melhores práticas para a Mastercard e para a sua rede de clientes».

 

Business-IT