NotíciasTendências

Stripe chega a Portugal e a mais sete países europeus

Esta plataforma de pagamentos está agora disponível em Portugal, Polónia, Estónia, Letónia, Lituânia, Eslováquia, Eslovénia e Grécia.

A plataforma de pagamentos globais Stripe acrescentou oito novos países à sua rede de operações, todos na Europa. Além de Portugal, as novidades são a Polónia, Estónia, Letónia, Lituânia, Eslováquia, Eslovénia e Grécia. Com este salto quantitativo, a empresa espera atingir cerca de 37 milhões de potenciais compradores on-line.

A chegada do Stripe a estes territórios é acompanhada de uma expansão da equipa de gestão no continente Europeu, nomeadamente com a contratação de Eileen O’Mara, uma executiva da Salesforce que agora assume o papel de directora de receita e crescimento na região EMEA. A nomeação segue a contratação de Matt Henderson no início deste ano para liderar a estratégia de produtos na Europa, chefiando as operações de engenharia da empresa neste continente.

Assim, as empresas que operam na Europa Oriental, Grécia e Portugal poderão fazer exportações aproveitando a infra-estrutura da Stripe e aceitar pagamentos em cerca de 130 moedas em apenas dez minutos, explica a empresa. A plataforma fornece acesso a uma infra-estrutura global de pagamento e uma rede de tesouraria para também abordar questões como contabilidade, pagamentos a terceiros e gestão de plataforma móvel. Além disso, as empresas terão acesso a carteiras digitais como Apple Pay ou Google Pay. A plataforma aceita pagamentos dos métodos mais populares em todo o mundo como Visa, MC, Amex, Alipay, WeChatPay e Multibanco, em Portugal.



Da lista de clientes incluem-se startups e empresas como a Google, Amazon, Uber e a Shopify. A empresa comunicou que em Portugal a Findster já está a usar a Stripe, assim como a Unbabel e a Uniplaces. Uma vantagem associada a esta plataforma é, segundo os responsáveis, o uso de aprendizagem de máquina para combater translações fraudulentas.

«A Europa tem muito talento empreendedor e tecnológico e acreditamos que as empresas nesses oito países têm muito potencial para expandir em escala global», disse Felix Huber, director para a Europa na Stripe, acrescentando que o objectivo final é «dar capacidade às empresas desses países para exportar a sua criatividade e ambição para o resto do mundo».

A empresa, que sendo norte-americana foi formada pelos irmãos irlandeses Patrick e John Collison, emprega mais de duas mil pessoas e a sua plataforma é utilizada por mais de um milhão de clientes em todo o mundo. Até ao final do ano, apenas os escritórios de Dublin deverão acolher trezentos funcionários.

Dois novos produtos
Além desta expansão, a empresa anunciou ainda dois novos produtos,o Stripe Capital, que dará às empresas que usam Stripe um acesso mais fácil aos fundos, e o Stripe Corporate Card, que ajudará os seus clientes a gerir os gastos dos funcionários.

Business-IT