NotíciasTendências

Mercado dos robôs colaborativos ganha novo dinamismo

O WeAreCOBOTS decorreu na Global Robot Expo, em Madrid e foi organizada pela Universal Robots.

Os robôs colaborativos, os denominados ‘cobots’, tiveram lugar de destaque na Global Robot Expo, que se realizou em Madrid. O evento WeAreCOBOTS, organizado pela Universal Robots, juntou 24 empresas especializadas em soluções de Human-Robot Collaboration (HRC), mais de quarenta oradores e dois mil participantes para testemunharem o ‘lançamento’ dos cobots. Ou melhor, o despertar das atenções para este mercado.

Desde que o primeiro robot colaborativo foi comercializado em 2008, o sector cresceu sob os pilares de flexibilidade, acessibilidade e facilidade de programação, dizem os responsáveis. Hoje, a Universal Robots, um dos mais fortes players neste mercado, já vendeu mais de 34 mil cobots. O evento WeAreCOBOTS reflectiu, por isso, a expansão que estes braços robóticos tiveram no mercado, ‘atingindo’ empresas de todos os sectores e portes. Em Madrid, os robôs mostraram ao vivo tarefas como soldagem, pintura, aparafusamento, empacotamento, paletização, recolha selectiva, intercalação de peças e controlo de qualidade, entre outros.

O crescimento do mercado dos cobots é de 70% ao ano e, segundo dados de Loup Ventures, em 2025 os robôs colaborativos vão representar 34% das vendas de robôs à escala internacional, o equivalente a um volume de negócios de treze mil milhões de dólares.



«A WeAreCOBOTS demonstrou o interesse que os robôs colaborativos despertam em todos os tipos de empresas e trabalhadores», diz Jordi Pelegrí, country manager da Universal Robots em Espanha e Portugal. «Caminhamos para um ecossistema de produção cada vez mais automatizado, no qual os robôs proporcionam máxima precisão, segurança e produtividade, ao mesmo tempo em que libertam os trabalhadores para explorar a sua criatividade e empatia com as necessidades dos clientes».

O futuro da indústria
Diante desta situação de crescimento da ‘cobotização’, os especialistas que apareceram na WeAreCOBOTS reflectiram sobre as últimas tendências que estão a moldar o futuro da indústria. Avanços como a possibilidade de integrar sistemas de visão artificial e outras aplicações numa única plataforma de desenvolvimento, instalações móveis para que o cobot funcione em diferentes pontos da cadeia de produção e espaços cada vez mais compactos traçam um horizonte de inovação aberto para pequenas e médias empresas.

A empresa, com presença em Portugal, foi fundada em 2005 com o objectivo de «tornar a robótica acessível através do desenvolvimento de robôs industriais pequenos, fáceis de usar, flexíveis e com preços razoáveis ​​que podem ser operados com segurança». Desde que o primeiro robô colaborativo (cobot) foi lançado em 2008, a Universal Robots experimentou um crescimento considerável em todo o mundo, tendo em 2018 alcançado uma receita global de 234 milhões de dólares. A empresa, parte da30 Inc., está sediada em Odense, na Dinamarca, e tem subsidiárias e escritórios regionais nos Estados Unidos, Alemanha, França, Espanha, Itália, República Checa, Polónia, Turquia, China, Índia, Singapura, Japão, Coreia do Sul, Taiwan e México.

Business-IT