brand.IT

5 benefícios do exercício físico para a saúde mental em idosos

Image by freepik

A prática de exercício físico não é uma exclusividade da gente nova, bem pelo contrário! Independentemente da idade, o exercício físico deve fazer parte da rotina de todas as pessoas. Isto porque os seus benefícios vão muito para lá do bem-estar físico. Quando exercitamos o corpo, estamos igualmente a proteger e estimular a nossa saúde mental.

No caso das pessoas com mais idade, o exercício físico é a combinação perfeita, já que não só gera a reabilitação muscular, como ajuda a manter a cabeça em ordem e ânimo elevado.

Neste artigo, vamos falar dos 5 benefícios do exercício físico na saúde mental em idosos.

Como diz o povo: «Velhos são os trapos!»

Para uma memória de elefante

A prática de exercício físico estimula em grande escala o hipocampo. O hipocampo é o responsável pela nossa memória, logo este a ser estimulado vai trabalhar para que a falta de memória deixe de ser uma consequência da idade, inclusive a memória espacial.

Com umas boas caminhadas pode começar a minimizar aquela cena diária: «Aonde é que pus as chaves?»

Para neurónios sempre frescos

Foram realizados vários estudos que comprovam que os idosos que se exercitam, para além de melhorarem a agilidade física, registam um aumento da ligação entre os neurónios. Ou seja, enquanto se estabelece a reabilitação muscular, os neurónios trabalham para um raciocínio muito mais rápido, contrariando os efeitos do envelhecimento.

Aliás, o exercício físico contribui para o aparecimento de novos neurónios, promovendo o desenvolvimento do tecido neural.

Correr para fugir de algumas doenças

Por vezes, as pessoas com uma idade avançada fogem do exercício físico porque têm medo de se magoar e de ganharem algumas lesões musculares.

No entanto, não sabem que ao se exercitarem estão a ganhar mais saúde e a fugir, sim, mas de doenças como o Parkinson. O desporto na 3ª idade ajuda a precaver as alterações cerebrais e cognitivas, responsáveis por este tipo de doenças, já que produz neurotransmissores como a norepinefrina, a dopamina e a serotonina.

Mexer-se para afastar a ansiedade e a depressão

Diz-se «mente sã, corpo são», e isto não podia ser mais verdadeiro. Por vezes, nesta fase da vida, muitos idosos acabam por ficar muito tempo parados e fechados em casa. Este tipo de comportamento traz solidão, tristeza e podendo mesmo chegar à depressão.

A prática de exercício físico faz com o cérebro liberte endorfinas que aumentam a autoestima e os níveis de energia, criando uma sensação de bem-estar.

Dias movimentados, noites descansadas

É sabido da importância de sono para um estilo de vida saudável e para o equilíbrio mental. A falta de atividade física compromete a qualidade do sono, deixando o sistema imunitário numa posição mais frágil.

Esta questão aplicada às pessoas mais velhas é ainda mais preocupante, já que uma das alterações mais sentidas é na qualidade do sono, que passa a ser mais leve e mais curto, levando a um aumento dos níveis de cansaço.

A energia gasta através do exercício físico na 3ª idade, ajuda a regular o sono e a torná-lo mais profundo e reparador, enquanto promove a reabilitação muscular.

Como evitar as lesões no exercício físico em idosos

Quer seja um jovem de 20 anos, ou um veterano de 70 anos, as lesões na prática do exercício físico são sempre um risco. No caso dos idosos, este risco aumenta devido à fragilidade trazida pelo tempo, e à diminuição de algumas capacidades físicas e cognitivas. O equilíbrio começa a falhar, tal como a resistência física ou capacidade de resposta rápida.

Contudo, estas questões não podem ser desculpa para o sedentarismo, até porque, como já vimos, muitas destas capacidades voltam com a prática do exercício físico. Existem algumas formas de prevenir as lesões desportivas.

  • Opte, sempre, por roupa e calçado confortável, seja para dançar, correr ou uma boa caminhada. Os sapatos mais bonitos devem ficar guardados para as festas e passeios.

 

  • Tenha em atenção aos percursos por onde vai andar. Se se sente pouco estável nas suas passadas, escolha um piso liso e sem grandes desníveis. Evite trilhos, subidas, descidas ou terreno pouco firme.

 

  • Outro pormenor que faz toda a diferença no que diz respeito às lesões musculares é o alongamento. É imprescindível fazer alongamentos antes de iniciar o exercício físico, para começar a aquecer o corpo, e no fim para relaxar os músculos e não ficar dorido.

 

  • Se tiver alguma mazela física, não deixe de levar os acessórios de reabilitação. Por exemplo, se tiver alguma lesão no ombro, mesmo que vá apenas fazer uma caminhada, o ombro elástico não deve faltar. A reabilitação muscular é essencial para garantir um estilo de vida saudável, e uma velhice plena de bem-estar.

Deixe um comentário