MercadoNotícias

Lenovo regista receita recorde no terceiro trimestre

Este é o décimo trimestre consecutivo de crescimento da empresa.

Jannoon028/Freepik

A Lenovo anunciou que a receitas do grupo no terceiro trimestre atingiram um recorde de 13 mil milhões de euros e que o lucro líquido cresceu 11% face ao ano anterior, atingindo os 238,5 milhões de euros.

O último trimestre apresentou vários desafios de negócios por todo o sector, incluindo «incertezas geopolíticas, escassez de oferta no sector e, mais recentemente, a nova situação de saúde referente ao coronavírus», explicou a empresa em comunicado. Isto não invalidou os bons resultados da empresa que cresce pelo décimo trimestre consecutivo.

A área de Intelligent Devices Group (IDG) continua a liderar os resultados positivos, em que o PC and Smart Devices Group (PCSD), uma das duas unidades de negócio, atingiu um recorde histórico de receita de 10,3 mil milhões de euros. Na área de PC’s, a Lenovo consolidou a posição de número um a nível mundial com um recorde de distribuição, superando o volume de negócio do mercado em mais de 2 pontos. A Lenovo terminou, também, em primeiro lugar no ano civil, com uma quota de mercado de 24,3%, um aumento de 1,6 pontos relativamente ao ano anterior. O volume e o elevado crescimento das categorias premium, como Gaming, Thin & Light, Visuals, Workstations e Chromebooks continuaram a crescer em dois dígitos.



A segunda unidade de negócios do IDG, o Mobile Business Group (MBG), registou o quinto trimestre consecutivo rentável. No futuro, a Lenovo revelou que acredita que o «mobile business vai continuar a fortalecer a lucratividade e, em simultâneo, irá impulsionar o crescimento em novos mercados».

Por sua vez, o Data Center Group (DCG) viu a distribuição de servidores crescerem em 18% face ao período homólogo. Enquanto a receita do grupo Data Center permanecer estável relativamente ao ano anterior, devido a reduções acentuadas nos preços dos componentes que diminuíram os valores médios do sistema, a rentabilidade continuará a aumentar. A non-hypererscale obteve a receita mais alta dos últimos quatro anos, representando um crescimento de quase 16%, com as receitas do mercado chinês a crescerem sozinhas 46% face ao ano anterior.

As receitas referentes à Software Defined Infrastructure (SDI) e à Storage atingiram um crescimento anual superior a 40%. No futuro, espera-se um crescimento em todas as áreas, em particular em servidores, storage, SDI, High Performance Computing, software e serviços, pois o Grupo está focado em aumentar a diversidade dos clientes e ampliar os canais indiretos.

A transformação inteligente como estratégia de negócio da Lenovo continuou a demonstrar ser o ponto forte que no longo prazo vais ser o catalisador de crescimento do Grupo. A receita de software e serviços atingiu pela primeira vez os mil milhões de dólares (920 milhões de euros), crescendo 41% face ao ano anterior e contribuindo 7% para a receita global do grupo.

Na inteligência IoT, a receita praticamente quadruplicou comparativamente ao ano anterior, atingindo mais 83 mil milhões de euros, impulsionada pelo crescimento em AR/VR, Smart Home e Smart Office. A infraestrutura inteligente cresceu mais de 50% face ao período homólogo, impulsionada pela Software Defined Infrastructure e pela Network Function Virtualization. O crescimento da receita Smart Vertical duplicou após o aumento de três dígitos atingidos nas receitas de Data Intelligence Business Group e das soluções PCSD nos setores de saúde e educação.

«No último trimestre, apesar das incertezas geopolíticas e da escassez da oferta no sector, atingimos um desempenho recorde com um equilíbrio geográfico, excelência operacional e execução estratégica sólida. O valor de receita e o imposto de lucro atingiram os valores mais elevados de todos os tempos», afirmou Yang Yuanqing, presidente e CEO da Lenovo.

«Estas competências, além de permitirem aproveitar as oportunidades de transformação tecnológica e impulsionar o crescimento sustentável, também permitem enfrentar os desafios da actualidade», concluiu o responsável.

Business-IT