Empreendedorismo

Uma solução colaborativa para o sector dos transportes de mercadorias

A startup 40 PÉS desenvolveu um software de gestão colaborativo que junta transportadores, transitários, agências marítimas e armazéns. O objectivo partilharem negócios e aumentarem as receitas.

A startup portuguesa foi criada em 2015 por Bruno Cavaco, que quis ajudar no negócio da família que tem uma empresa de transporte de mercadorias. Feliciano Roldão, sócio e director de vendas e marketing da 40 PÉS, revelou que o fundador, que tem um mestrado em informática e uma pós-graduação em gestão e estratégia empresarial, já tinha «ajudado muitas empresas e achou que seria altura de ajudar em casa».

Assim, analisou o mercado e concluiu que apenas existiam «softwares on-premise, de elevado investimento inicial, carregados de opções que não eram usadas, com pouca escalabilidade e onde a experiência de utilização era dolorosa» e que era necessária uma plataforma que «respondesse às necessidades» do sector dos transportes de mercadoria.

Foi assim que nasceu a 40 PÉS, uma oferta integrada para todo o tipo de empresas, sejam eles «transportadores, transitários, agências marítimas ou depots», que «funciona como uma grande rede» e dá a possibilidade de estes «partilharem negócios, serviços e de trabalharem de forma colaborativa, poupando tempo e dinheiro e optimizando os espaços livres e os retornos», explicou o responsável.

A 40 PÉS conta com cerca de oitenta milhões de euros facturados através da plataforma e mais de 420 mil serviços lançados em que cerca sessenta mil foram partilhados entre os clientes.

Quanto ao facto da solução ser diferenciadora, o executivo relevou que são vários os motivos, entre os quais ser «a única plataforma que consegue ser totalmente integrada, com módulos para as várias necessidades: gestão de tráfego, gestão de frota, GPS, área comercial e integração com os sistemas de faturação; a possibilidade das empresas fazerem mais com menos recursos e o acesso à informação, quer global de toda a rede, quer especifica de cada organização». Tudo isto na cloud, o que possibilita o acesso em qualquer local.

Foco na inovação 

Feliciano Roldão não tem dúvidas que, além de ajudar o sector dos transportes a ter melhores resultados, a inovação é essencial para a startup: «Na 40 PÉS temos uma insaciável vontade de inovar e trabalhar com as melhores tecnologias. Queremos cada vez mais trabalhar a inteligência, com algoritmos poderosos que proporcionam informação automatizada no apoio à decisão».

Para já, a startup actua apenas em Portugal, mas, nos planos, está a expansão para a Europa e os responsáveis já estão a trabalhar na «identificação das geografias prioritárias». No futuro, a 40 PÉS ambiciona ser «a maior plataforma europeia de software colaborativo» e «um dos principais motores de inovação» do sector dos transportes.

Business-IT